Bolsonaro chama Doria de 'bosta' e Witzel de 'estrume' em gravação de reunião

Bolsonaro xingou Doria, Witzel e prefeito de Manaus em reunião ministerial

Reação inflamada do presidente foi em relação às ações de isolamento social adotadas pelos estados

Por Mariana Zylberkan - Atualizado em 22 maio 2020, 17h42 - Publicado em 22 maio 2020, 17h26

O presidente Jair Bolsonaro xingou os governadores do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), e de São Paulo, João Doria (PSDB), durante reunião ministerial que teve a divulgação do registro em vídeo autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Celso de Mello, nesta sexta-feira, 22.

“O que os caras querem é nossa hemorroida, nossa liberdade. Isso é uma verdade. O que esses caras fizeram com o vírus, esse bosta desse governador de São Paulo, esse estrume do Rio de Janeiro, dentre outros, é exatamente isso, aproveitaram o vírus. O bosta do prefeito de Manaus, [Arthur Virgilio (PSDB)], está agora abrindo covas coletivas”, disse o presidente. 

 
 

A reação extremada do presidente mirou adversários políticos que se posicionaram a favor do isolamento social em seus estados contrariando as diretrizes de Bolsonaro em relação à pandemia de coronavírus, avaliada por ele como um exagero e uma “gripezinha”.

A oposição a Doria e Witzel é anterior à crise provocada pelo coronavírus e foi acentuada nos últimos dois meses. Bolsonaro chamou Witzel diversas vezes de traidor, assim como Doria, depois que os governadores deixaram de apoiá-lo, apesar de terem sido aliados nas eleições de 2018.

CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

O vídeo com as declarações foi apontado pelo ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, como prova de que o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir politicamente na Polícia Federal.