Você pode salvar a vida da Duda: doe plaquetas e medula; veja como

 
 

Com apenas seis anos de idade, Maria Eduarda Santos Sandoval está lutando pela vida. Esperta e curiosa, Duda, como é carinhosamente chamada pelos mais próximos, enfrenta sua segunda batalha contra a Leucemia.

A doença apareceu em 2015, pegou a todos da família de surpresa. Como uma pequena guerreira, ela passou por incontáveis sessões de quimioterapia e as terríveis “punções” na lombar para dezenas de exames. Sempre com um sorriso no rosto.

Terminou o primeiro tratamento em novembro do ano passado e, desde então, levava uma vida normal de uma criança em idade pré-escolar. Com sua mochila rosa, passou a frequentar a escola de segunda a sexta-feira. A última Páscoa, recebeu a visita do coelhinho com direito a ovos de chocolate.

Mas, na última semana, uma “gripe” e febre alta levaram Duda novamente ao pronto-atendimento hospitalar. A notícia de que a Leucemia havia voltado veio nesta semana. A garotinha que sempre sorri, até mesmo antes de entrar em um centro cirúrgico, precisa da ajuda de todos por meio de doações de plaquetas “aféreses” e medula óssea.

A tia de Duda, Jéssica Brito, afirma que só a doação de medula óssea pode salvar a vida da sobrinha. “Ela estava bem esse tempo todo. A doença voltou mais forte, mas temos fé e pedimos ajuda de todos”, disse.

Ao lado da mãe, Ritielli Hartz, Duda passará por novas sessões de quimioterapia até encontrar um doador compatível. Mas, antes disso, ela precisa de doações de plaquetas por Aféreses que equivalem de seis a oito doações de sangue “tradicional”.

“A gente precisa de plaquetas com urgência. Ela está com apenas 4 mil sendo que o normal é 150 mil, o risco de ter hemorragia é grande”, desabafa a tia.

A doação de plaquetas por Aféreses pode ser feita com agendamento no IEHMCO – Instituto de Hematologia do Centro Oeste, em anexo ao Hospital do Câncer em Cuiabá, pelo telefone (65) 3641-2373.

Já a doção de sangue pode ser feita sem agendamento no IEHMCO – Instituto de Hematologia do Centro Oeste, em anexo a Santa Casa de Misericórdia, aberto de segunda a sábado das 7h às 19h.

Para o cadastro no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME), é preciso ir até o Hemocentro na Rua 13 de junho, no centro de Cuiabá. Mais informações pelo telefone (65) 3623-0044.

Além de Duda, os doadores podem ajudar outras pessoas que estão lutando contra a doença, como é o caso do bancário Luis Gustavo S. Coutinho, pai de dois bebês. Aos 33 anos, ele também busca um doador compatível. Ele chegou a ficar internado por 30 dias seguidos e agora fará de 5 a 8 ciclos de quimioterapia.